1.6.09

A cada um dos meus dedos







contei o principio do teu nome
soletrei a tua língua de areia
e os anéis da tua pele

Os teus cabelos abrem o tempo
e lembram rotas da seda e dromedários
tendas, cortinas e o frio do deserto

Há barcos que repousaram no teu oásis ondulante
com mastros e velas soberbas à tua passagem
peixes que te reconhecem do outro lado do mar
como na enseada do teu ventre

Recuperas das viagens e das cidades prometidas
do teu corpo inscrito no cansaço, nas pedras de sal
dos teus olhos...









Tiago Patrício
Mulher Ave (excertos do poema)
in O Livro das Aves
Imagem de Katia Chausheva