29.11.08

de quem tem o mar no sangue













Era um pequeno povo nómada de pescadores. Onde quer que fosse, levava consigo o mar.

Victor González















Imagem de Maciej Czajka

8 comentários:

Jaime A. disse...

Onde quer que fosse, levava consigo o sonho, a maresia em nuvens douradas imensas, magníficas. Onde quer que fosse, levava consigo a sombra de dias felizes, a anorexia da dor. Onde quer que fosse, levava consigo os filhos de noites mornas e de mar lavado. Onde quer que fosse, levava consigo o desprezo dos que ficavam, dos que não tinham levado consigo o mar.
Esse pequeno povo nómada de pescadores, jamais tivera um rito; esse rito era a sua passagem contínua pelas vagas, pelas frestas do tempo...

Vieira Calado disse...

Tal como os índios da Meia-Praia

que o Zeca Afonso cantou.

Bom fim de semana

Parapeito disse...

"e assim o mar foi visto por outros olhos :))

*****

moriana disse...

desdobraste o texto-poema :)

um beijo.

moriana disse...

os belissimos poemas do Zeca.

bom feriado, aí pelo sul. dentro em breve irei ver esse mar.

moriana disse...

verdade. talvez por quem nunca abandonou o deserto :)

Jaime A. disse...

lol, espero que não te tenhas importado.
Bom feriado.

moriana disse...

claro que não! :)

beijos.