1.12.08

repeat/play








aprendi a amar o medo. conto-lhe segredos para que adormeça e não volte a partir.











moriana
Imagem de Katia Chausheva

6 comentários:

Sophia disse...

Porque o medo faz parte de nós?

;) Baci

Ciranda disse...

Não só o medo... também a melancolia. Com o tempo aprenderei a amar-me também.

Um abraço.

Jaime A. disse...

O medo possui-me.
Sabe-me.
Na minha almofada,
ele escorre-se
tão lesto,
que temo a sua partida.
Brilha-me os olhos no escuro,
mostra os dentes quando acordo.
Fico inseguro,
laivos em pernas trementes.
Canto-lhe "lullabies",
sonda-me em jeito
de quase fim.
Onde pára a sua alegria vampírica?
O seu jeito de borboleta?
Caminho longe,
passos quase firmes,
segue-me um Frodo bamboleante...

moriana disse...

é uma resposta, creio.
o medo como refúgio, mesmo que ele já não esteja lá ;)

bj.

moriana disse...

É bela, a melancolia. Uma constante, "constância", fidelidade, amiga. Um nunca acabar de vocábulos...

Aprenderás como tens aprendido outras coisas.

abraço amigo.

moriana disse...

O medo é amante, abraça-nos.
Esquecemos um amante, não esquecemos o medo. Ele sabe-nos, mas é-nos um mistério. Talvez por isso não o deixamos partir.

bj.